Arquivo da tag: construção

Imóveis sustentáveis: o que é essa tendência do mercado?

A crescente preocupação com o meio ambiente e a busca por práticas sustentáveis têm se tornado temas relevantes na sociedade contemporânea, influenciando diversos setores, incluindo o mercado imobiliário. Uma das consequências dessa conscientização é a construção de imóveis sustentáveis, que apresentam uma série de benefícios para os proprietários, para o meio ambiente e para a comunidade como um todo.

A sustentabilidade na construção civil tem sido amplamente discutida e cada vez mais se torna uma questão importante. Como resultado, temos visto um aumento significativo de novos empreendimentos que adotam práticas sustentáveis, atraindo um público cada vez mais interessado e engajado nessa causa. Além disso, esses imóveis têm se valorizado consideravelmente, de acordo com informações do Ministério do Meio Ambiente. Diante dessa nova demanda, o mercado tem abraçado a tendência da sustentabilidade para atender às necessidades dos consumidores.


O que é um imóvel sustentável


Imóveis sustentáveis são projetados e construídos com critérios ambientais, sociais e econômicos, visando minimizar o impacto ambiental e promover o uso eficiente de recursos naturais. 

Esses imóveis têm características específicas, como:

  1. Eficiência energética: Essas construções utilizam tecnologias avançadas, como isolamento térmico eficiente, sistemas de iluminação LED, aproveitamento de luz natural e energia renovável, como painéis solares e sistemas de captação de energia eólica. 
  2. Uso racional de água: em casas sustentáveis, é comum haver sistemas de reutilização de água, otimizando o seu uso. Por exemplo, recolhimento da água da chuva para ser usada no banheiro ou para o jardim.
  3. Materiais ecológicos: na construção são utilizados materiais com baixo impacto ambiental, como:vidro reciclado, aço reaproveitado,madeira de reflorestamento,telhas e tijolos ecológicos.

Benefícios de imóvel sustentável


  • conscientização ambiental;
  • mais qualidade de vida;
  • redução de resíduos;
  • modernização e inovação nos processos;
  • menor impacto na natureza;
  • valorização do imóvel.

Investir em imóveis sustentáveis é uma forma de promover a sustentabilidade e contribuir para um futuro mais consciente e equilibrado.


Quer alugar ou comprar imóvel em Curitiba?


Se você busca uma casa ou apartamento para comprar ou alugar em Curitiba, venha conversar com a Imobiliária 2000: nós vamos encontrar o imóvel certo para você, na localização que melhora a sua vida! 

Entre em contato pelo formulário ou mande uma mensagem no nosso WhatsApp.

O momento certo para vender o seu imóvel

Segundo um levantamento feito pela Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi-PR) existe um crescimento de 15% nas vendas de apartamentos novos em Curitiba, de janeiro a setembro de 2022, em relação ao mesmo período do ano de 2021. Ou seja: 5.537 imóveis residenciais novos foram vendidos na capital paranaense.


Consequentemente, o Volume Geral de Vendas (VGV) teve alta no período, de 16,2%. Dessa forma, o mercado imobiliário de Curitiba chegou à marca de R$ 3,2 bilhões em imóveis novos comercializados, em 2022.


O preço dos apartamentos novos registrou alta de 17,2% no último ano, tendo setembro como mês de referência. Assim, o preço médio do metro quadrado privativos para imóveis residenciais em Curitiba ficou em R$ 10.910,00.


Para quem procura o momento ideal de alugar ou vender um imóvel, esse início de 2023 se mostra extremamente favorável. A Imobiliária 2000 oferece uma assessoria de qualidade que pode te ajudar a encontrar o melhor caminho para o seu imóvel. Com a nossa ajuda, seu imóvel ganha destaque e você fecha um negócio próspero e confiável.


Fonte: Bem Paraná

Imóveis que agradam você e o planeta!

Sustentabilidade é um conceito que tem recebido cada vez mais atenção, tanto como medida de conscientização quanto pelo fator de marketing da palavra. Com isso em mente, muitas empresas estão optando por seguir o caminho sustentável, do minimalismo e apostam na tecnologia e na fabricação própria para acelerar as obras.


Para acompanhar essa tendência, a empresa Constellations Kujuk Ecopod tem criado casas autônomas, ecológicas e com o conceito de geometria sagrada das mandalas. Casas essas que são idealizadas para ambientes de camping ecológicos, oferecendo uma experiência diferente na natureza.


O que torna essa pequena casa tão sustentável são primeiramente seus materiais, sendo um dos principais materiais usados tipos variados de madeira de compensado para a estrutura, além do poliuretano – garrafa pet reciclável e lã ecológica para o isolamento acústico. Se o projeto alcançar seu objetivo de ser tornar algo acessível para diversas classes sociais, com certeza estará um passo à frente na prolongação da vida do nosso planeta.


Fonte: Estadão.


Pensa em construir ou reformar? Confira as dicas.

O sonho de muita gente é ter a casa própria. Mas, com os preços exorbitantes pedidos atualmente pelo mercado para a venda de imóveis novos e usados, a alternativa que muitos encontraram foi a construção e reforma.

O problema é que mesmo até nesta hora os preços assustam. Só que existem formas de economizar com arquitetura e decoração interiores. Acompanhe o texto a seguir e saiba mais!

1 Escolhendo materiais alternativos para construção de sua casa

No Brasil, cultivou-se, por muito tempo, a ideia de que as melhores construções eram aquelas erguidas em tijolo e concreto.

Porém, com a expansão da internet e a comunicação via redes sociais, não só arquitetos como também civis tiveram acesso a mais informações e passaram a se interessar mais por outros modelos construtivos. Hoje, muita gente defende o resgate de técnicas tradicionais, assim como a adoção e novas.

Existem várias empresas no mercado especializadas em oferecer soluções mais em conta para moradias. Algumas oferecem planos onde é incluído não só o valor total dos materiais, como também dos equipamento e da mão-de-obra. Há exemplos de edificações sendo montadas em peças pré-fabricadas nos mais diferentes materiais, como madeira e plástico; ou em blocos, como é o caso das casas feitas a partir de containers navais reciclados.

2 Optando por interiores mais abertos e integrados

Algo que também diminui o custo das construções é prever espaços internos mais abertos, ou seja, com menos panos fechados de paredes. O conceito de ‘espaços integrados’ está muito em voga atualmente.

Nos Estados Unidos, é comum, já há bastante tempo, a ideia de montar área de preparo dos alimentos, estar e jantar num único espaço. Mas, os brasileiros só adotaram essa prática mais recentemente.

Não é a toa que muitos empreendimentos no Brasil oferecem, em propaganda, imóveis com a tal “cozinha americana”. Isso tem muito a ver com uma planta mais aberta – onde é feito, justamente, esta integração entre cozinha e sala.

Mas, também há outras conexões espaciais que se pode fazer. Por exemplo, sala e varanda, sala e quarto, sala e office, e cozinha e área de serviço. Esta decisão ficará por conta do projetista!

3 Deixando os materiais das estruturas aparentes

Um dos detalhes arquitetônicos mais significativos listados no orçamento de uma obra são os acabamentos. Revestir paredes, piso e teto pode encarecer demais o valor da construção de uma moradia.

Algo que a pessoa pode fazer para diminuir este custo é deixar os materiais utilizados para erguer as estruturas aparente. Fica bonito expor “ao natural” superfícies metálicas, em madeira, cimento, tijolo de barro, e mais.

Essa medida pode, sim, ser adotada com o intuito de deixar a construção de uma casa mais barata. Mas, há outras razões por trás do por que muitas pessoas preferem adotar tal estratégia estética.

Em parte, tem a ver com tentar expressar um estilo mais despojado, descontraído; ou seja, mais limpo, sem tantos detalhes. Isso “casa” com decorações urbanas modernas – do tipo clean, industrial ou outra.

4 Construindo o próprio mobiliário

Então, conseguiu-se poupar na construção e nos acabamentos das estruturas de uma casa. Na fase seguinte, tem-se a ambientação – o que, aliás, é uma etapa muito importante, já que não se consegue aproveitar bem os ambientes sem que estes estejam minimamente mobiliados.

Acontece que é possível criar lindas peças de design de uma forma muito simples e criativa!

Também nesta área profissional, a de projetos mobiliários, existem muitos movimentos artísticos que defendem a utilização de materiais alternativos. O ‘upcycle’, por exemplo, seria uma maneira diferente de reutilização de elementos.

Certos itens que seriam descartados e até destinados aos lixões, supostamente, ganhariam uma nova chance, sendo transformados em algo com mais qualidade e valor ambiental.

Fazendo uma pesquisa rápida na internet, é possível conferir vários exemplos inteligentes de economia com ambientações de interiores. Em alguns casos, se fez a repaginação e o reuso de objetos antigos.

Também se improvisou com restos de obras, como pallets e blocos de concreto. E também se moldou peças personalizadas – como é o caso das bancadas feitas em cimento com vidro.

5 Reaproveitando materiais para personalizar a decoração

Por fim, é possível gastar menos com a personalização da decoração.

Arquitetos e designers têm apresentado ótimas ideias quanto a “como enriquecer as propostas sem gastar muito”.

Fonte: https://financaspessoais.organizze.com.br

Vai construir? Confira estas dicas

O sucesso de uma construção está atrelado a um bom planejamento.

Infelizmente muitas pessoas podem achar que é perda de tempo e querem partir logo para a ação. Entretanto, já vi que você não é diferente e se está aqui é por que quer fazer as coisas da melhor forma possível, correto?

Essa etapa inicial de planejamento é fundamental para evitar erros durante a construção, gastos desnecessários, atrasos de entrega da obra e outros problemas que podem te tirar o sossego.

É por isso que separamos 5 dicas de como planejar uma obra. Entenda antes como funciona um planejamento e tenha sucesso na construção do seu sonho!

1. Defina um orçamento

O dinheiro é um dos maiores obstáculos e pode ser a peça mais complexa de uma obra. Ao mesmo tempo que ele permite construir tudo que você imagina, a falta de dinheiro pode resultar em uma obra parada por anos.

Então, comece agora a pensar em quanto você pode gastar e faça uma estimativa de quanto a construção custará. Pode ser que você queira fazer um empréstimo para a construção, por isso é sempre bom se planejar financeiramente para isso.

Além de saber os custos aproximados, esse orçamento ajudará a iniciar uma construção que levará em consideração o saldo disponível.

É importante você saber que, um engenheiro ou arquiteto podem te auxiliar no quesito orçamento, esses profissionais possuem experiência com levantamentos de custo e além disso, eles poderão te orientar se o que você pretendo fazer é viável com a verba disponível.

2. Selecione cuidadosamente os profissionais

Antes de contratar os profissionais que vão projetar e executar a sua obra, você precisa buscar referências. Conheça seus trabalhos anteriores, procure saber a opinião dos antigos clientes e veja se eles ficaram satisfeitos com o trabalho.

Nesse momento, o preço não deve ser a única métrica para tomada de decisão. Aquela história de que o barato sai caro faz todo o sentido aqui. Um profissional desqualificado pode prejudicar gravemente a sua obra te deixando de cabeça quente.

A nossa dica é contratar um arquiteto ou engenheiro para oferecer ajuda na hora de planejar sua obra e indicar quais serão os outros profissionais que você precisará contratar.

3. Faça cotação de materiais de construção

Você não precisa pegar a lista de materiais de construção e comprar tudo de uma vez na primeira empresa que encontrar. O planejamento de obras serve justamente para otimizar e programar seus gastos.

Separe um momento para fazer a cotação dos materiais em pelo menos três estabelecimentos. Assim, você consegue comparar os preços e decidir onde é melhor comprar.

Aqui vale a mesma dica para a contratação de profissionais: não leve apenas o preço em consideração. Certifique-se de incluir materiais de qualidade em sua construção, principalmente peças de acabamento, que ficam mais expostas.

4. Tenha um cronograma

Criar um cronograma é uma das partes mais importantes no planejamento e gerenciamento de construção.

Um cronograma bem feito ajuda a minimizar o tempo de inatividade na obra e garante que todas as partes do projeto sejam concluídas no prazo e dentro do orçamento.

Geralmente, os cronogramas de construção se concentram na divisão das etapas (fundação, alvenaria, laje e telhado, elétrica e hidráulica, acabamento), o tempo de duração de cada atividade e quem será o responsável por realizar cada uma delas.

5. Não se esqueça da documentação

Antes de começar a executar o projeto, é preciso se preocupar com as obrigações jurídicas. Essa etapa do planejamento de obras vai garantir que o seu projeto seja formalizado e a sua construção aprovada pelos órgãos públicos.

Entre a documentação que você precisa providenciar para começar uma obra estão as licenças e alvará da obra. A relação completa de documentos varia para cada município, portanto você precisa consultar o setor responsável na prefeitura da sua cidade.

Não se esqueça que toda parte burocrática também inclui gastos com taxas e prazos para a emissão dos documentos. Então, planeje-se para isso.

O tempo que você vai gastar fazendo o planejamento de uma obra, pesquisando, analisando materiais e ideias, vai ajudar a economizar dinheiro e problemas futuros. É melhor levar mais tempo antes de começar a construção do que ter pressa e se arrepender, concorda?

Fonte: https://www.imobiliaria2000.com.br//entendaantes.com.br – texto adaptado

Seu sonho é construir uma casa?

7 dicas para construir uma casa perfeita dentro das normas brasileiras.

Você já teve alguma experiência com construção ou reforma? Se sim, sabe dizer que as coisas não são tão simples na prática. Então aqui vão algumas dicas para garantir que sua casa perfeita, adequada às normas brasileiras, saia do papel.

O sonho da casa própria é algo que encanta a maioria das famílias brasileiras até hoje. Ter aquele cantinho de mundo que pode ser chamado de só seu é de um valor imensurável, mas todo sonho tem seu custo. E quando finalmente conseguimos construir esse sonho, é natural o desejo que todo o dinheiro, tempo e cabelos brancos investidos nessa empreitada gerem nada menos que nossa casa perfeita.

1) Planejamento

Seja na hora de construir do zero ou reformar sua casa é necessário planejar bem. É importante definir alguns pontos antes de começar a pôr a mão na massa. Veja só alguns exemplos:

As dimensões da casa

Quantos e quais cômodos serão modificados ou criados

O nível do acabamento

Quais profissionais serão necessários para essa empreitada

Quanto dinheiro está disponível para a execução.

Sempre tenha em mente que o planejamento e a criação de projetos seguindo as normas brasileiras de construção não são desperdícios burocráticos de tempo e dinheiro. Muito pelo contrário, são ferramentas que permitem a perfeita relação de custo e segurança. O planejamento reduz desperdícios de materiais e tempo de forma baratear a construção e dando uma boa previsão dos custos totais antes da execução.

Uma dica: de fato, uma pessoa pode construir umacasa sem um projeto. Entretanto, ela poderá gastar o equivalente a duas casas em materiais.

Profissionais

Esta talvez seja a dica mais importante para evitar dores de cabeça e garantir a parte da perfeição da casa perfeita. Garanta a qualidade dos profissionais que irão projetar e a sua casa. Se o planejamento inicial do seu imóvel for mal feito, as possíveis consequências futuras podem custar caro. É bom ter em mente que não estamos falando apenas de pinturas descascadas ou azulejos tortos, falamos de rachaduras e incêndios elétricos.
Sempre procure saber o quão capacitado é o profissional que você pretende contratar. Busque referências e requisite seu portfólio de projetos executados e clientes atendidos.

Materiais

Após ter em mãos os projetos completos, é necessário dar um passo fundamental antes de começar a construir: comprar os materiais. O custo dos materiais normalmente representa a maior parcela dos gastos na execução de qualquer projeto. O grande número de fornecedores diferentes no mercado torna a decisão de o que comprar uma das tarefas mais difíceis de se fazer.

Pode ser tentador comprar com fornecedores que prometem valores abaixo de mercado. Mas, em grande parte, são produtos de procedência duvidosa sem nenhum tipo de certificação dentro das normas brasileiras de construção civil e instalações elétricas. Tais produtos representam uma verdadeira bomba relógio, se deteriorando rapidamente, mas de forma imperceptível aos olhos leigos. Eles podem causar de vazamentos e rachaduras a incêndios e desabamentos. A única forma de evitar dores de cabeça em relação aos materiais e sempre comprar produtos de qualidades de fornecedores certificados.

4) Projeto Arquitetônico

Na hora de construir sua casa perfeita, um bom projeto arquitetônico provém grande conforto no produto final. Ele permite a distribuição e o dimensionamento correto dos cômodos da sua casa de forma a garantir o melhor aproveitamento de espaço, ventilação e luz solar. Dessa forma, há uma redução nos custos com iluminação e climatização dos ambientes de sua casa.

Um bom projeto arquitetônico também maximiza o uso do traçado natural do terreno, algo extremamente valioso em locais não planos. O arquiteto é o profissional que permite que a sua casa tenha a sua cara antes mesmo de ser construída.

5) Projeto Estrutural

É muito comum a construção de casas sem um projeto estrutural profissional. Isso acontece porque poucas pessoas entendem o seu valor e importância. Quando o projeto estrutural é realizado segundo as normas brasileiras de construção civil, ele garante a segurança da estrutura e impede o superdimensionamento da obra. Assim, não há desperdício de materiais e uma quantidade de dinheiro considerável é economizada.
Com menos gastos e sem reduzir a qualidade da estrutura, é possível investir muito mais na escala e no acabamento de sua casa dos sonhos.

6) Projeto Elétrico

A parte elétrica de uma casa representa o seu componente mais complicado de planejar e instalar. Sem seu planejamento, você terá custos orbitais em caso de superdimensionados de condutores e eletrodutos. Além disso, existem riscos de incêndios em caso de mal dimensionamento de seus elementos de proteção. Diferente dos projetos estruturais, não é possível construir uma casa segura sem um projeto profissional.

Há muito mais que apenas tomadas e disjuntores na área de projetos elétricos. Projetos de telefonia e antenas garantem que esses sistemas alcancem todos os pontos necessários de sua casa sem perda de qualidade de sinal. Um projeto luminotécnicogarante a qualidade da iluminação dos ambientes de sua casa aumentando imensamente o conforto do cotidiano. Nunca mais estude ou trabalhe em ambientes mal iluminados. Nunca mais gaste uma fortunas com lâmpadas ofuscantes em seu quarto. Além disso, um projeto de SPDA garante a segurança de todos os habitantes e equipamentos de uma casa. Sua casa estará protegida até mesmo contra os raios mais destrutivos.

Um projeto elétrico adequado de acordo com todas as normas brasileiras relevantes representa conforto segurança. Instalações adequadas atendem todas as suas necessidades. Um sistema robusto e bem dimensionado permite a correta atuação dos elementos de proteção.

6) Etapa por etapa

É sempre bom lembrar que todo sonho começa com o primeiro passo. Quando estamos pensando em construir ou reformar algo, sempre nos perguntamos: será que terei dinheiro o suficiente ou a obra terá que ser parada no meio? E, sejamos sinceros, não é nada agradável morar em uma casa pelas metades. Mas seguindo essas dicas com um pequeno investimento inicial, é possível criar todos os projetos necessários para construir a sua casa dos sonhos e você saberá quanto terá que gastar antes mesmo da primeira lajota ser colocada. Procure fazer etapa por etapa, dessa forma é possível evitar erros por falta de planejamento.

E, mais importante, você terá garantia que o produto final será como o idealizado por você.

Fonte: www.cpejr.com.br

    1 2